Pressione "Enter" para ir para o conteúdo

30º aniversário do repouso de Padre Dumitru Staniloae

Há trinta anos, na noite de 4 para 5 de outubro, o Padre Dumitru Stăniloae repousou no Senhor. O famoso teólogo romeno está a caminho do reconhecimento de sua santidade porque viveu uma vida virtuosa e suportou tormentos por professar a sua fé durante o regime comunista ateu. Padre Dumitru e vários confessores serão provavelmente proclamados santos em 2025, quando a Igreja Ortodoxa Romena assinalar 140 anos de autocefalia e 100 anos desde a obtenção do status de Patriarcado.

Breve Biografia

Dumitru Stăniloae nasceu em 16 de novembro de 1903, em Vlădeni, condado de Braşov, e tornou-se uma personalidade proeminente da Ortodoxia, sendo professor de teologia, dogmático, filósofo, historiador, jornalista e tradutor.

Frequentou o colégio confessional humanista “Andrei Şaguna”. Em 1922, recebeu uma bolsa de estudos na Universidade de Chernivtsi. A licenciatura em Teologia foi obtida sob a orientação do Prof. Vasile Loichiţă, com uma tese sobre o Batismo de crianças. Ele também recebeu uma bolsa de estudos de pós-graduação em Atenas.

Em 1928, defendeu sua tese de doutorado em Chernivtsi com o título “Vida e Obras do Patriarca Dositheus de Jerusalém e suas ligações com os Principados Romenos”.

Em janeiro de 1929 foi estudar em Berlim com Hans Lietzmann e Reinhold Seeberg como professores. Depois, foi a Paris e Belgrado para estudos de Bizantinologia e Dogmática e documentação da obra original de São Gregório Palamas.

Ao retornar ao país, foi contratado como professor substituto do departamento fundamental de Teologia da Academia Teológica “Andreiana”, onde lecionou por 17 anos.

Em 5 de outubro de 1930 casou-se com Maria (Mihu); dois anos depois foi ordenado sacerdote e um ano depois, em 8 de outubro, nasceu sua filha Lídia.

Em junho de 1936, foi nomeado reitor da Academia Teológica de Sibiu, cargo que ocupou até 1946.

Em 1946, o primeiro volume da tradução romena da Philokalia foi publicado em Sibiu e, no mesmo ano, foi transferido para a Faculdade de Teologia da Universidade de Bucareste, seguindo Nichifor Crainic para a cátedra de teologia ascética e mística.

Em 1950, participou nas reuniões do movimento hesicasta Sarça Ardente, do qual não fez parte, mas onde proferiu diversas palestras.

Em 1958, uma nova onda de detenções começou na Romênia e, em 4 de setembro, foi preso e posteriormente levado para a prisão de Aiud. Foi libertado cinco anos depois, em janeiro, e trabalhou como escriturário na Biblioteca do Santo Sínodo.

Tornou-se membro correspondente da Academia Romena em 1990 e membro titular em 1991. Recebeu títulos honorários de várias universidades do mundo. Repousou no Senhor em 5 de outubro de 1993. Foi sepultado no Mosteiro de Cernica, perto de Bucareste.

Com informações e foto de Orthodox Times

Compartilhar

Seja o Primeiro a Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *