Press "Enter" to skip to content

360 milhões de cristãos foram perseguidos em 2021 por sua fé em Cristo, mostram estatísticas de «Portas Abertas»

Em todo o mundo, as tendências de perseguição e opressão ao cristianismo aumentaram no ano de 2021, de acordo com estatísticas publicadas pela organização Portas Abertas. Segundo esta fonte, aproximadamente 360 milhões de cristãos sofrem um alto grau de perseguição e discriminação em todo o mundo. Ou seja, um em cada sete cristãos em todo o mundo é vítima de perseguição e discriminação pela fé em Cristo. Mais especificamente, um em cada seis cristãos na África, dois em cada cinco na Ásia e um em doze na América Latina.

É pelo segundo ano consecutivo que alguns países, na lista de observação, foram classificados como tendo um grau «muito alto» ou «extremo» de perseguição. Em 2021, os três principais destinos onde os cristãos sofrem as condições mais duras são: Afeganistão, Coreia do Norte e Somália. As causas são múltiplas e complexas, difíceis de se isolar em categorias. Há uma estreita relação entre a fonte da perseguição e o status religioso adotado pela região ou país em questão.

Em números, as estatísticas mostram que cerca de 5.898 cristãos foram mortos, 5.110 igrejas foram atacadas, 6.175 foram privadas de liberdade e 3.829 cristãos foram sequestrados.

Globalmente, em comparação com o ano anterior, o número de cristãos perseguidos aumentou em 2021 em cerca de 20 milhões. Os dados utilizados para elaboração do relatório foram coletados entre 1º de outubro de 2020 e 30 de setembro de 2021.

O índice Portas Abertas analisa vários critérios na composição das estatísticas:

  • Vida privada: se o cristão pode ou não possuir objetos religiosos.
  • Vida familiar: se os cristãos podem ou não expressar sua fé na família, para celebrar eventos religiosos.
  • Vida na comunidade: se eles podem viver sem serem prejudicados ou discriminados nas comunidades locais.
  • Vida nacional: se a forma de governo permite que os cristãos expressem sua fé.
  • A vida da Igreja: se os cristãos podem participar de cultos juntos e se eles podem construir igrejas.
  • Violência: se os cristãos são vítimas de violência comunitária.

A organização Portas Abertas é uma rede mundial de ONGs cristãs sem fins lucrativos, que acompanha a situação dos cristãos em todo o mundo.


Fonte: Basílica.Ro
Foto: Gerald Herbert / Associated Press

Compartilhar

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *