A Santa e Grande Igreja de Cristo

Principal centro eclesiástico da Igreja Ortodoxa em todo o mundo, o Patriarcado Ecumênico tem seu fundamento histórico no Pentecostes e nas primeiras comunidades cristãs fundadas pelos santos Apóstolos. Conforme a Tradição, Santo André, «o Primeiro-Chamado», anunciou o Evangelho nas vastas regiões da Ásia Menor, do Mar-Negro, da Trácia e da Acaia onde foi martirizado. No ano 36 (d. C) fundou a Igreja Local, em Bizâncio, às margens do Bósforo, mais tarde, Constantinopla – cidade de Constantino (atual Istambul, na Turquia). Santo André, o santo Patrono do Patriarcado Ecumênico, é comemorado no dia 30 de novembro no calendário eclesiástico.

f.a.q.

1. O que é o PATRIARCADO ECUMÊNICO?

— O Patriarcado Ecumênico é o centro honorário e espiritual da Igreja Ortodoxa no mundo, cuja origem se situa no dia de Pentecostes e nas primitivas comunidades cristãs fundadas pelos Apóstolos de Jesus Cristo.

2. Qual é a origem do título «PATRIARCA ECUMÊNICO»?

— O título “Patriarca Ecumênico” data do VI século e pertence exclusivamente ao Arcebispo de Constantinopla. Mas sua função já tinha sido definida no IV século. No quarto Concilio Ecumênico de Calcedônia (451), o Arcebispo de Constantinopla recebeu “iguais privilégios” aos do Bispo de Roma.

3. Por que o Patriarcado Ecumênico tem sede em Istambul?

— Em 330, o Imperador romano Constantino transferiu a capital imperial para a pequena cidade de Bizâncio, renomeando-a Constantinopla, ou «Nova Roma». Por sua importância histórica e política, a cidade assumiu progressivamente uma proeminência política e eclesiástica pelo fato de que os sete Grandes Concílios da Igreja antiga foram celebrados em Constantinopla ou nas vizinhanças.

4. Qual a função do Patriarca Ecumênico entre as Igrejas Ortodoxas?

— Por honra histórica o Patriarca Ecumênico preside todos os Primazes Ortodoxos, como «primeiro entre os iguais», e serve também como ponto focal e porta-voz para a unidade da Igreja Ortodoxa, convocando os Concílios inter-ortodoxos, do mesmo modo que os diálogos inter-eclesiais e inter-religiosos.

5. Qual é a ordem hierárquica ou de honra dos Patriarcas Ortodoxos?

— Os mais antigos Patriarcados, por ordem de antigüidade, já foram estabelecidos no V século, compreendendo: Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém. No século XVI, o Patriarcado Ecumênico elevou ao nível de Patriarcado a Igreja de Moscou, o que também aconteceu com a Igreja da Sérvia no século XIV e, mais tarde, com a Igreja da Romênia (século XIX) e a Igreja da Bulgária (século XX).

6. Quais são as outras prioridades para o Patriarca Ecumênico Bartolomeu?

— O Patriarca Ecumênico apoiou os países que estiveram sob a opressão comunista da Cortina de Ferro. Ele visitou as nações islâmicas, nunca visitadas por nenhum chefe de Igreja, pedindo a tolerância religiosa. Por outro lado, suas iniciativas pioneiras pela preservação do ambiente natural lhe granjearam o titulo de «Patriarca verde».

7. Que ligação há entre Santa Sofia e o Patriarcado Ecumênico?

— Santa Sofia é uma das maravilhas da Igreja antiga. Guardava alguns dos mais esplêndidos mosaicos, alguns dos quais ainda existem e foi o centro de uma impressionante vida litúrgica. Foi para ali que o Príncipe Vladimir enviou, no século X, seus mensageiros para participar da Liturgia, tendo como resultado que toda a Rússia foi cristianizada. Foi transformada em mesquita em 1453 e hoje é um museu.

8. Quando Bartolomeu foi eleito Patriarca Ecumênico?

— Em outubro de 1991. O Patriarca Bartolomeu (nascido em 1940) é o 270º Arcebispo desta histórica cátedra de Constantinopla, nome bizantino para a atual Istambul.

9. Qual o significado da visita do Patriarca Ecumênico à Roma na Festa de São Pedro (29 de junho) e da visita do Papa à Constantinopla na Festa de Santo André Apóstolo (30 de novembro)?

— Um ano após sua eleição para Papa, João Paulo II visitou o Patriarca Ecumênico Demétrio, em 1979. A visita abriu a estrada para o diálogo teológico oficial entre a Igreja Ortodoxa e a Igreja Católica Romana, inaugurado em 1980. Antes disso, o papa Paulo VI tinha visitado o Patriarca Ecumênico Atenágoras, em 1967, encontrando-se com ele em Jerusalém. A última visita do Papa à Constantinopla foi em novembro de 2006, com Bento XVI.

10. Qual foi a função do Papa durante as celebrações litúrgicas no Patriarcado?

— O Apóstolo Santo André, conhecido como «protocleto» (o primeiro a ser chamado) dos Apóstolos, é o fundador (ano 36) e o Santo Patrono do Patriarcado Ecumênico. Era também irmão de São Pedro que é patrono da Sé de Roma. É, portanto, um gesto que expressa a relação fraterna entre os sucessores dos dois Santos Apóstolos irmãos, André e Pedro, patronos das Sedes Apostólicas de Constantinopla e Roma, respectivamente.

11. Quando foi a última visita de um Papa da Igreja de Roma ao Patriarca Ecumênico em Istambul?

— No rito de saudação, o Patriarca e o Papa juntos abençoaram a assembleia. Mas, ainda não existindo comunhão eucarística entre as duas Igrejas, o Papa não concelebrou durante a Liturgia de 30 de novembro, mas tomou assento numa posição de honra, participando das saudações rituais e abençoando, como também, recitando a Oração do Senhor.

12. Que língua é usada nas celebrações e nos outros eventos previstos?

— Sua Santidade o Patriarca Ecumênico Bartolomeu fala corretamente sete línguas, mas a língua ritual para as celebrações é, de fato, o grego do Novo Testamento. Ela é a mesma língua adotada pelos Padres da Igreja e usada nos textos oficiais da Igreja Ortodoxa através dos séculos.

13. Quantos são os Cristãos ortodoxos no mundo?

— São 300 milhões. Geograficamente, sua primeira área de desenvolvimento é ao longo da costa norte-oriental do Mediterrâneo, na Europa Oriental e Setentrional, como também no Oriente Médio. Mas a jurisdição do Patriarcado Ecumênico é mundial.

14. Como está a relação entre as igrejas Ortodoxa e Católico-romana hoje?

— Desde o tempo do Patriarca Ecumênico Atenágoras e do Papa Paulo VI, as duas Igrejas empreenderam o «diálogo do amor», que desembocou no «diálogo da fé», a partir de 1980. Atualmente, um diálogo internacional discute os temas de acordo e de divisão.

15. O que aconteceu entre os dois líderes em Jerusalém?

Este encontro foi uma comemoração do encontro realizado em Jerusalém entre o Patriarca Athenagoras e o Papa Paulo VI, em 1964. Além disso, como lugar histórico onde Jesus Cristo viveu, ensinou e morreu, a Terra Santa tem sido um local único de peregrinação através do séculos. É também o local onde Jesus orou “para que os seus discípulos sejam um” Jo 17:21). O Patriarca Ecumênico e o Papa celebraram um culto de oração na Igreja do Santo Sepulcro. Isso marcou o único evento público em Jerusalém. No entanto, como não há comunhão eucarística entre as duas Igrejas neste momento, o Papa e o Patriarca não concelebraram nenhuma Liturgia Divina. Finalmente, além de recitar o Pai Nosso, eles ofereceram bênçãos formais e declarações oficiais. Além disso, os dois líderes trocaram visitas privadas nos respectivos locais.