São Simão era natural de Caná da Galileia, conhecido pessoalmente do Senhor e de sua puríssima mãe, porque o povoado de Caná não estava muito distante de Nazaré. Quando Simão celebrou o seu casamento, convidou para a festa o Senhor, a sua imaculada mãe e os seus discípulos. Como havia terminado o vinho para os convidados, o Senhor transformou água em vinho (Jo 2:1-11). Impressionado por este milagre, o noivo passou a crer no Senhor Jesus Cristo como o verdadeiro Deus e, abandonando a celebração de suas bodas e a sua própria casa, O seguiu com fervor. Desde então recebeu o nome de o “Zelote” ou o “Zeloso”, pois, tamanho fervor e entusiasmo que, pelo amor a Cristo, deixou sua própria noiva desposando, em sua alma, o Noivo Celestial. É por isso que Simão foi considerado entre o grupo de discípulos de Cristo e dos Doze Apóstolos.

No dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu sobre os apóstolos sob a forma de línguas de fogo, eles receberam o dom da palavra que lhes capacitou a pregar o Evangelho a todas as nações. Recebendo o Espírito Santo junto aos demais, Simão saiu a pregar em diversos lugares, passando pelo Egito, Mauritânia, Líbia, Numidia, Cirenia e Abjásia. Neste último, uma região localizada na costa nordeste do Mar Negro, ele iluminou com a fé em Cristo numerosos pagãos. Também esteve na Bretanha, onde converteu à luz do Evangelho muitos descrentes, tendo sido depois crucificado por idólatras. Esta é uma das mais antigas tradições, cuja principal autoridade é São Doroteo, Bispo Gaza (300 dC). São Nicéforo, Patriarca de Constantinopla, um respeitado historiador (758-829), também confirma a presença do Apóstolo em Bretanha. Outras tradições afirmam que o Apóstolo esteve na Pérsia, com São Judas, com quem foi martirizado. Outros ainda atestam que o zelote São Simão foi sepultado na cidade de Nicósia, perto de Zhiguencia. Os lugarejos indicam que este local está a uns 13 km de Sujumi, não muito distante da costa do Mar Negro. Mais tarde, uma igreja foi construída no local da morte do santo e a sua estrutura foi recuperada em 1875, graças ao fervor de um dos grandes duques da Rússia.

O Santo Apóstolo Simão, o Zelote, é comemorado em 10 de maio, não devendo ser confundido com São Simão Pedro, que também era um dos Doze Apóstolos, tão pouco com Simeão, parente consanguíneo do Senhor (Mt 13:55) que pertenceu ao grupo dos Setenta Apóstolos, segundo bispo de Jerusalém, sucessor do apóstolo Tiago. São Simão, o Zelote, é celebrado ainda em 30 de junho, juntamente com os demais Apóstolos (Sinaxe dos Santos Apóstolos).

Outras comemorações deste dia:

A Igreja comemora também neste dia, Santa Taís do Egito, a Penitente (séc. V); São Lourenço;  Santa Venerável Isidora de Tabenéia, monja (séc. IV); São Simão, bispo de Vladimir e Suzdal (+1226); São Comgall, bispo e abade de Bangor (+601); Santa Solange de Bourges, virgem e mártir (+880); Santos Alfeu e companheiros, mártires da Sicília (+251).

Tradução e publicação neste site
com permissão de Ortodoxia.org
Trad.: Pe. André

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager