Santa Pelágia nasceu em Tarso (Ásia Menor). Seus pais eram pagãos e muito conhecidos. Destacava-se por sua rara beleza e por sua brilhante educação. O imperador Diocleciano (284-305) tinha intenção de casar Pelágia com seu futuro herdeiro, um filho adotivo. No entanto, Pelágia pretendia entregar sua vida totalmente a Deus e negou-se, por isso, a se casar com herdeiro do imperador. Decidiu então batizar-se e tinha intenção de converter sua mãe que, não concordando com a filha, decidiu entregá-la ao noivo rejeitado. O noivo sabendo que sua noiva não abandonaria sua fé em Cristo e que por causa disso, inevitavelmente, seria torturada como os demais cristãos, caiu em uma profunda tristeza e se suicidou. Tal fato enfureceu ainda mais sua mãe que decidiu então entregar sua filha ao imperador Diocleciano para ser julgada. O imperador, ao ver Pelágia, encantou-se com sua beleza e quis casar-se com ela. Pelágia, no entanto, recusou mais uma vez, justificando que seu único noivo era Jesus Cristo e por Ele estava disposta a morrer. Diocleciano ordenou que ela fosse então torturada e, depois de sofrer grandes tormentos, entregou seu espírito ao Senhor no ano de 287.

Tradução e publicação neste site
com permissão de
www.ortodoxia.org
Trad.: Pe. Pavlos Tamanini

Outras comemorações do dia:

  • São Floriano de Norico, mártir (+304);
  • Santo Erasmo de Fórmia, Itália, bispo e mártir (+303);
  • Santo Hilarion, o milagroso.
 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager