Santo Antimo nasceu em Nicomédia no final do terceiro século. Distinguia-se, desde pequeno, pelo respeito e o zelo pelas coisas sagradas, sobretudo pelos ofícios divinos. Tendo crescido, tornou-se um modelo de prudência e de amor ao próximo. Sua espiritualidade e intelectualidade fizeram com que os cristãos de Nicomédia nutrissem por ele grande admiração, a ponto de o convencerem a se tornar sacerdote e, um pouco mais tarde, bispo.

Quando teve início a perseguição aos cristãos pelo imperador Diocleciano, Santo Antimo foi perseguido e preso. Depois, levado à presença do imperador Diocleciano, este lhe propôs o culto aos ídolos se quisesse salvar sua própria vida. Caso contrário, ameaçava o imperador, muitas torturas o esperavam. E logo foi lhe apresentando os instrumentos que se valia para tal.  Antimo, porém, respondeu ao imperador: «Para que me mostras estes instrumentos de tormentos, para me atemorizar? Que os temam aqueles para quem a vida é só prazer, e que vêem a privação como uma grande perda. Para mim, porém, e para os cristãos, isto não representa nenhuma dificuldade. Meu corpo é precário, provisório e grotesco; só tem valor se é santificado por Cristo e quando dá sua vida por Cristo». Depois de ter dito isto, foi torturado e decapitado.

Tradução e publicação neste site
com permissão de
Ortodoxia.org
Trad.: Pe. André

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager