Na noite da última segunda-feira, 3 de setembro de 2018, chegaram ao fim as sessões da Sinaxe dos metropolitas ativos e arcebispos do Trono Ecumênico. A Sinaxe, inaugurada em 1º de setembro, foi presidido por Sua Santidade o Patriarca Ecumênico Bartolomeu I,  e teve lugar na Igreja da Santíssima Trindade de Stavrodromion, Istambul.

Depois do pronunciamento de abertura, por Sua Santidade Bartolomeu I, a Sinaxe passou a tratar de uma agenda de temas concernentes ao Patriarcado Ecumênico e de interesse inter-ortodoxo. As apresentações foram feitas pelos Élderes Metropolitas João de Pergamo (Zizioulas) e Demetrio, das Ilhas dos Príncipes, assim como os Metropolitas Emmanuel da França, Andreas de Arkalocorion, Elpidophoros de Bursa, Amphilochios de Adrianópolis, Bartolomeu de Esmirna e os Bispos Kyrillos de Abidos e Makarios de Christopolis. Seguiu-se extensa discussão com perguntas e propostas sobre os tópicos apresentados pelos hierarcas participantes.

Em seu discurso de encerramento, Sua Santidade enfatizou:

A identidade da Igreja, marcada pelo serviço e pela escatologia, está ameaçada hoje, não apenas pelo secularismo, mas também por uma espiritualidade de isolacionismo e introversão que está se infiltrando na Igreja. Somos beneficiários e guardiões de um depósito sagrado legado pelos santos Padres: a verdadeira fé, culto e doxologia, um modo de vida genuíno em e segundo Cristo, uma verdade que liberta, um amor à criação e à humanidade, uma cultura de solidariedade, tudo dentro de uma tradição histórica ininterrupta testemunhada na confissão e sacrifício dos santos, na piedade e espiritualidade ortodoxas, no milagre da teologia patrística, no ethos ascético da cruz e da ressurreição, no estilo de vida eucarístico e na esperança para a eternidade. Cada um de nós, os mais veneráveis irmãos, juntamente com todo o clero e leigos.

E, em outro lugar, ele observou:

Estamos nos esforçando para a unidade e estabilidade da Ortodoxia, bem como para um testemunho eclesial comum. Durante esta Sinaxe, tratamos extensivamente de temas inter-ortodoxos. O Patriarcado Ecumênico – sendo responsável pela salvaguarda da unidade, mas também pela coordenação das relações inter-ortodoxas e das iniciativas pan-ortodoxas – realiza este ministério sagrado no mundo ortodoxo, aderindo fielmente aos inabaláveis ​​princípios eclesiológicos e canônicos da Tradição de nossos pais.

Finalmente, Sua Santidade acrescentou:

Estamos também a cultivar corajosamente um encontro com o nosso mundo contemporâneo, dentro do qual a Igreja vive e oferece o seu testemunho. Os grandes desafios do nosso tempo, incluindo a dominação do progresso tecnológico, secularização, globalização, declínio contínuo e negligência da dimensão social e social da liberdade, injustiça social, gratificação e ganância, destruição do ambiente natural, mas também etnofiletismo, fundamentalismo religioso , o choque de culturas e outras ameaças à santidade da pessoa humana, exigem respostas comuns, testemunho conjunto e um caminho colaborativo para o futuro. O Metropolita João de Pérgamo sabiamente nos lembra deste mandato para a Ortodoxia: “No mundo que enfrentamos, a Ortodoxia não pode fornecer uma testemunha dividida em muitas partes, mas sim um testemunho ‘a uma só uma voz e um só coração’.


Fonte: Site do Patriarcado Ecumênico

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos