Na manhã do Sábado Santo, o ofício de Vésperas é realizado como de costume, seguindo com a Liturgia de São Basílio. O tropário do dia exclama:

Desceste das alturas, ó Misericordioso,
e suportaste a sepultura por três dias,
para nos libertar dos sofrimentos.
Senhor, nossa vida e nossa ressurreição,
glória a Ti!

Acredita-se que este hino tenha sido composto pelos cristãos do primeiro século. Em seguida, lê-se as leituras escolhidas de 15 livros do Antigo Testamento que recolhem os eventos mais surpreendentes e simbólicos que prefiguram o «evento de Cristo» em toda sua dimensão, enfatizando sua Paixão, Morte e, fundamentalmente, sua Ressurreição para libertar o gênero humano. A leitura da Epístola nos assegura que através do batismo somos sepultados com Cristo, para que possamos ser ressuscitados com Ele. Antes da leitura do Evangelho, o cantor, em vez do habitual «Aleluia», canta:

«Levanta-Te, ó Deus, julga a terra,
pois as nações todas pertencem a Ti».

O celebrante, revestido de paramentos brancos, espalha folhas de louro por todo o templo, simbolizando a vitória de Cristo sobre os poderes da morte. Este ato é o primeiro anúncio do alegre advento da ressurreição. Após este alegre anúncio, o sacerdote lê o Evangelho do dia, tirado de São Mateus (28:1-20), proclamando a vitória triunfal de Cristo sobre a morte e suas palavras de envio aos Apóstolos: «(…) Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei». Este mesmo texto é o que é lido na cerimônia do sacramento do Batismo. Assim prossegue a Divina Liturgia, resplandecente como o tema do triunfo de Cristo.

Para seguir lendo, clique no arquivo abaixo…

Compartilhe isso:
 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Pesquisar

Arquivos