25 de fevereiro de 2019 — “O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) segue com sua missão de ser uma plataforma para que as Igrejas se unam, se compreendam melhor e trabalhem juntas para o bem de suas sociedades”, disse o Rev. Dr. Olav Fykse Tveit, secretário geral da Organização Mundial, durante uma reunião com S. S. o Patriarca Cirilo de Moscou, Primaz da Igreja Ortodoxa Russa no último dia 30 de janeiro de 2019. O encontro ocorreu por ocasião do convite ao secretário geral do CMI para participar do 10 º aniversário da entronização patriarcal, em Moscou. Tveit cumprimentou o Patriarca Cirilo e enfatizou a importância do engajamento ecumênico da Igreja Ortodoxa Russa e a sua participação nos trabalhos do CMI. O Patriarca, por sua vez, reafirmou o compromisso da Igreja Ortodoxa Russa com o CMI, refletindo também sobre o seu papel histórico único durante os tempos da Guerra Fria. Expressou ainda suas profundas preocupações sobre a situação da liberdade religiosa na Ucrânia e o envolvimento do Estado nos assuntos da igreja, bem como sua preocupação com o aumento das tensões na família ortodoxa mundial depois que a recém-estabelecida Igreja Ortodoxa na Ucrânia recebeu recentemente sua autocefalia do Patriarcado Ecumênico. “O CMI não interfere nos assuntos internos de uma igreja ou de uma família de igreja, mas esperamos e oramos pela reconciliação e a cura desta divisão na família ortodoxa”, disse o secretário geral do CMI. Tveit também se referiu ao tema da próxima Assembléia do CMI a ser realizada em 2021: “O amor de Cristo leva o mundo à reconciliação e à unidade”, convidando a Igreja Ortodoxa Russa a contribuir para o tema principal da assembléia: o que significa reconciliação e unidade para os cristãos. O estado atual do mundo, quando as divisões e a polarização aumentam ao nosso redor. “Amar uns aos outros é o caminho para a reconciliação e a unidade no mundo hoje, para manter viva a perspectiva de paz”, disse o secretário geral do CMI. O Conselho Local da Igreja Ortodoxa Russa elegeu o Metropolita Cirilo como Patriarca de Moscou e toda a Rússia e Primaz da Igreja Ortodoxa Russa em 1º de fevereiro de 2009. De 1968 a 1998, ele esteve ativamente envolvido no trabalho do CMI em várias funções, incluindo a de membro do Comitê Central do CMI e do Comitê Executivo, além de ser o representante do Patriarcado de Moscou no CMI, em Genebra, de 1971 a 1974.


Fonte: Newsletter da Delegação Permanente do Patriarcado Ecumênico para o CMI,
fevereiro 2019)

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Pesquisar

Arquivos