Papa Francisco de Roma recebeu o “ministro das Relações Exteriores” de Cirillo, o Metropolita Hilarion, que anunciou a chegada em Roma no outono, de um ícone, tal e como as relíquias de São Nicolau fez um “tour” pela Rússia no ano passado.

IACOPO SCARAMUZZI | CIDADE DO VATICANO — O Papa Francisco assegurou a uma delegação do Patriarcado de Moscou e de Toda a Rússia que a Igreja Católica não causará divisões na ortodoxia.

Jorge Mario Bergoglio recebeu uma representação de Moscou, liderada pelo Metropolita Hilarion de Volokolamsk, Chefe do Departamento de Relações Exteriores do Patriarcado, antes da audiência geral desta quarta-feira em São Pedro. Hilarion está em Roma para participar de uma reunião organizada pela Conferência Episcopal Italiana (CEI), dedicado ao tema das peregrinações. Acompanhavam Hilarion, entre outros, o cardeal Walter Bassetti (presidente da CEI), Dom Ambrogio Spreafico (Presidente da Comissão para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso), o Bispo de Lodi, Monsenhor Maurizio Malvestiti, e Pe. Bettega, diretor do departamento de ecumenismo e diálogo inter-religioso.

O Departamento de Relações Exteriores do Patriarcado (de Moscou) publicou hoje uma nota em que cita as palavras que o Papa falou durante a reunião. “Diante de vocês e, especialmente, para você, querido irmão, gostaria de enfatizar mais uma vez que a Igreja Católica não usará jamais de uma abordagem que cause divisões. Nós não permitiremos isso. Eu não quero. Na Rússia há um só Patriarcado: o seu. E nós não vamos ter outro”, disse Francisco, conforme relatado por Moscou. O Papa também teria dito que é inaceitável o “uniatismo” nas relações entre católicos e ortodoxos, e teria indicado o diálogo fraterno como único meio para alcançar uma unidade maior. “As igrejas católicas não deveriam interferir nos assuntos internos da Igreja Ortodoxa Russa, incluindo as questões políticas”, teria dito o Papa, segundo a Delegação representada por Hilarion. «Esta é a minha posição e a posição da Santa Sé hoje. Aqueles que pensam diferentemente não obedecem a Santa Sé».

(…)

Hilarion, por sua vez, relembrou o sucesso da “tour” feito com as relíquias de São Nicolau, que viajou de Bari para a Rússia no ano passado. O chefe do Departamento de Relações Exteriores do Patriarca Kirill disse em particular que, no outono deste ano visitará Roma uma das relíquias mais importantes para a Igreja Ortodoxa Russa, o ícone do Crujcificado, pintado por Dionisiy, um aluno de Andrey Rublev. «Deixará a Rússia pela primeira vez para ser exposta as olhos de milhares de peregrinos que visitam Roma. Serão também expostos na galeria de São Pedro (o braço de Carlo Magno, ndr.) cerca de vinte ícones da coleção da Galeria Estatal Tretyakov. Segundo Hilarion, «as peregrinações para visita a locais sagrados cristãos permitem conhecer as tradições, a história e o patrimônio artístico da Igreja e dos povos de outros países. E isso só pode ajudar a promover a compreensão mútua, o diálogo ortodoxo-católico e a paz internacional e inter-religiosa».


Fonte: L’astampa.it

 
 

3 Comentários

  1. Antonio Marcos Araujo Ribeiro disse:

    Boa noite, Graça e Paz. Para todos os irmãos em cristo Jesus. Realmente, chega de divisões entre ortodoxos e católicos-romanos. Vamos nos corrigir para que o cristianismo volte a crescer, pois o islamismo esta crescendo. Boa noite e fiquem todos com Deus

  2. Osvaldo disse:

    A abertura para diálogo é interessante meio diplomático, mas os cristãos ortodoxos não devem, em hipótese alguma, alterar os aspectos doutrinários da fé ortodoxa em nome de uma suposta “aproximação” “união” ortodoxa com a Igreja romana.

  3. Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste (João 17:21). Divisão é um pecado tão horrendo que, nem o reino do inferno o comete entre si.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos