S. B. Epifânio da Ucrânia com o Patriarca Ecumênico, S. Santidade Bartolomeu I na assinatura do Tomo de Autocefalia, em 5 de janeiro de 2019, que concedeu independência total à Igreja da Ucrânia. © Foto de M. Lazarenko

O Arcebispo Elpidoforo da América, Exarca do Patriarcado Ecumênico, juntamente com o Comandante Nacional Arconte Dr. Anthony J. Limberakis, fará a entrega do Prêmio Atenágoras de Direitos Humanos a Sua Beatitude Epifânio, Metropolita de Kiev e Toda a Ucrânia, em evento que terá lugar no Hilton Midtown de Nova Iorque, em 19 de outubro próximo.

O Metropolita tem sido um forte defensor da liberdade religiosa e um importante defensor das prerrogativas eclesiásticas e canônicas do Patriarcado Ecumênico.

S. E. Arcebispo Elpidoforo, saudou a escolha:

“Sua Beatitude Metropolita Epifânio tem sido um firme defensor da liberdade religiosa do Patriarcado Ecumênico, mesmo que suas prerrogativas tenham sido contestadas e até mesmo rejeitadas por alguns, ou posta sob tremenda pressão por outros. Na Ucrânia, ele já mostrou sabedoria salomônica necessária para reunir a Igreja, retornar à unidade eucarística e estabelecê-la como membro integrante do grupo de igrejas ortodoxas autocéfalas em todo o mundo”.

Ao reconhecer o longo histórico de defesa do Patriarcado Ecumênico da Metropolita Epifânio, o Comandante Nacional Limberakis observou:

“Imediatamente após a conclusão bem sucedida do trabalho do Sínodo Unificador que foi convocado em Kiev, em dezembro de 2018, e que escolheu o Metropolita Epifânio como Primaz da Igreja Ortodoxa autocéfala e recém-unificada na Ucrânia, Sua Beatitude contatou o Patriarca Ecumênico, S. Santidade Bartolomeu, a fim de expressar seu respeito e pedir os bons votos e bênçãos da Igreja Mãe para que seu ministério primacial produzisse bons frutos. Isto sintetizou a compreensão de Sua Beatitude da posição canônica do Patriarcado Ecumênico na Igreja, e seu profundo respeito e amor por Sua Santidade”.

O Metropolita Epifânio foi eleito pelos bispos das três Igrejas Ortodoxas divididas da Ucrânia em um concílio de unidade em 15 de dezembro de 2018. Em 6 de janeiro de 2019, o Patriarca Ecumênico, S. Santidade Bartolomeu I assinou o Tomos da Autocefalia para a Igreja Ortodoxa na Ucrânia, estabelecendo formalmente a décima quinta igreja ortodoxa autocéfala do mundo.

O Prêmio Atenágoras de Direitos Humanos foi criado em 1986 pelo Conselho Nacional da Ordem de Santo André Apóstolo, Arcontes do Patriarcado Ecumênico na América. O prêmio recebeu o nome de um dos grandes líderes da Igreja do século XX, o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Atenágoras I, de santa memória.

O Prêmio é concedido anualmente no Banquete Anual da Ordem para uma pessoa ou organização que tenha, de maneira consistente, dado exemplo, pela ação, propósito e dedicação, de sua preocupação com os direitos básicos e a liberdade religiosa de todas as pessoas. Entre os que receberam em anos anteriores estão: Sua Eminência Demétrio, ex-arcebispo da América; Sua Eminência Iakovos, ex-arcebispo da Arquidiocese da América do Norte e do Sul; ex-presidente Jimmy Carter; o ex-presidente George W. Bush e a primeira-dama Barbara Bush; ex-vice-presidente Joseph Biden; O governador de Nova York, Andrew Cuomo; o Nobel e ex-líder soviético Mikhail Gorbachev; O Nobel Elie Wiesel; e Madre Teresa de Calcutá.


Fonte:Archons.org

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Pesquisar

Arquivos