15 de outubro de 2019

Uma reunião extraordinária do Santo Sínodo da Hierarquia da Igreja Ortodoxa da Grécia reuniu-se em 12 de outubro de 2019 e decidiu aprovar “o direito normal do Patriarcado Ecumênico de conferir autocefalia, bem como o privilégio do Primaz da Igreja da Grécia tratar sobre a questão do reconhecimento da Igreja da Ucrânia.”

De acordo com a agenda, S. Beatitude, Arcebispo Ieronymos, de Atenas e Toda a Grécia, apresentou seu relatório intitulado “A autocefalia da Igreja da Ucrânia”. Na introdução, S. B. afirmou que o Santo Sínodo Permanente da Igreja da Grécia tratou intensamente do tema, encaminhando-o à Comissão Sinodal, sobre relevantes questões dogmáticas e jurídicas e relações ortodoxas e inter-cristãs, a fim de propor conjuntamente ao Santo Sínodo.

Em 13 de agosto, estas comissões apresentaram ao Secretariado seu relatório intitulado “A questão da jurisdição normal da Sacra Metrópole de Kiev”. A conclusão do Relatório da Comissão foi: “Tendo em vista o exposto, a questão da autocefalia da Igreja da Ucrânia deve ser considerada canônica e legal, e recomenda-se que a autocefalia da Igreja da Ucrânia seja reconhecida.”

De acordo com o comunicado de imprensa oficial, S. B. o arcebispo Ieronymos, fez uma breve referência à instituição sinodal e à organização administrativa da Igreja, bem como à instituição da autocefalia. Ele observou que a Igreja da Ucrânia sempre permaneceu na jurisdição eclesiástica normal do Patriarcado Ecumênico, que declinou de sua jurisdição canônica sobre ela a fim de introduzi-la na comunhão das Igrejas Ortodoxas Autocefálicas, um ato que o Patriarcado de Moscou considera como anti-canônico, como se a Igreja da Ucrânia pertencesse ao Patriarcado de Moscou.

Finalmente, depois de ter qualificado a proclamação da autocefalia eclesiástica da Ucrânia como particularmente benéfica para a Igreja Ortodoxa e valiosa para o fortalecimento das relações entre as duas Igrejas Ortodoxas irmãs da Rússia e da Ucrânia, sugere o reconhecimento da Igreja da República Independente da Ucrânia.

A apresentação do relatório foi seguida de uma discussão construtiva e a Hierarquia decidiu aceitar a decisão do Santo Sínodo Permanente anterior e a recomendação de S. B. Arcebispo Ieronymos, de Atenas e Toda a Grécia, para reconhecer “o direito canônico do Patriarcado Ecumênico de concessão de autocefalia, bem como o privilégio do Primaz da Igreja da Grécia de tratar a questão do reconhecimento da Igreja da Ucrânia”, enquanto sete metropolitanos pediram o adiamento da decisão.


Fonte: Newsletter Out/2019 da Delegação Permanente
do Patriarcado Ecumênico junto ao CMI.

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Pesquisar

Arquivos