Pronunciamento (2013) do Cônsul Honorário da Grécia em Curitiba, jurisdicionado para os Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul por ocasião das comemorações da Data Cívica do “OXI” – Dia 28 de outubro de 1940. –   

Para:  Associação Helênica do Paraná, Associação Helênica de Santa Catarina, Sociedade Helênica de Porto Alegre, Paróquias Ortodoxas Gregas São Savas – Curitiba, São Nicolau – Florianópolis, Santos Apóstolos – Porto Alegre.  Entidades Filantrópicas,  Grupos  Folclóricos e Culturais. 

 Gregos, descendentes e amigos da Grécia.

Constantino Comninos - Cônsul Honorário, Professor. Arconte do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla – 2010

Constantino Comninos – Cônsul Honorário, Professor. Arconte do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla – 2010

Cumprimentando-os, venho, em nome de Sª. Exª. o Embaixador da Grécia no Brasil,  Senhor  Dimitris Alexandrákis, da Vice-Cônsul Honorária Profª. Maria Lambros Comninos, e em meu próprio nome, transmitir aos gregos e descendentes e aos amigos da Grécia que integram as comunidades dos Estados da região do Brasil Meridional e jurisdicionados por esta Repartição Consular, as nossas manifestações de júbilo ao se comemorar a Data Cívica dos 28 de outubro de 1940, consagrada como o Dia do OXI (o Não).

Esta data histórica sempre será lembrada por todos os gregos e descendentes em todo o ecúmeno helênico desta terra, como episódio marcante,  que obrigou a Grécia a entrar na Segunda Guerra Mundial do século XX, que  foi o  mais devastador conflito que a história registrou, e que envolveu tantos  países, com reflexos em todos os continentes. Do lado grego, notável foi o patriotismo e a tenacidade de seu povo e de seus líderes, que frustrou a estratégia das forças invasoras totalitárias em território grego. O Brasil também esteve presente neste conflito, enviando tropas para a Europa, em uma demonstração de solidariedade, oferecendo sua contribuição aos combatentes das nações aliadas.

Comemorando esta data cívica, e em meio a tantos confrontos que ainda ocorrem em várias partes do mundo, conclamo os gregos, descendentes e amigos da Grécia, a nos unirmos em um elo de amizade, para trabalharmos juntos pela tolerância, a compreensão e os ideais de fraternidade e de paz, e com a ajuda de Deus, humildemente augurar pelo término das crises que assolam o planeta em que vivemos.

Tendo em vista a crise fiscal pela qual a Grécia está a passar como parte da crise econômico-financeira internacional, lembro com esperança as palavras de Odyseus Elytis, poeta grego laureado com o Premio Nobel de Literatura em 1979, que tomo a liberdade de traduzir. Diz Elytis: “Se você desabituar-se da Grécia, no final você verá que restou uma oliveira, uma videira e um barco. O que significa: entre tantas outras coisas, que você a reconstruirá”.

Com a firmeza que os gregos sempre demonstraram em todas as sagas que vivenciaram ao longo de sua história milenar, seguindo o traço das palavras de  Elytis,  plantemos oliveiras, videiras e naveguemos, pois, nos momentos de crise, perseverar é preciso.

Constantino Comninos – Cônsul Honorário
(Professor e Arconte do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla – 2010)

 

 

 

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Pesquisar

Arquivos