Jerusalém – EPA

Jerusalém (RV) – Treze chefes das Igrejas de Jerusalém (católicos, ortodoxos e protestantes) expressam séria preocupação com a recente escalada de violência em torno da Esplanada das Mesquitas, na Cidade Santa. Numa nota, “condenam com veemência todo ato de violência”.

Preocupação com mudança do status quo

Os líderes religiosos se dizem “preocupados com toda e qualquer mudança do status quo na Esplanada e na cidade de Jerusalém. Toda ameaça à sua continuidade e à sua integridade poderia facilmente levar a consequências imprevisíveis e sérias absolutamente indesejáveis neste clima presente de tensões religiosas”, lê-se na nota.

“Apreciamos o controle contínuo sobre a Esplanada das Mesquitas, os lugares santos de Jerusalém e sobre a Terra Santa por parte do Reino Hashemita da Jordânia que garante a todos os muçulmanos o livre acesso e a possibilidade de rezar na mesquita de Al Aqsa segundo o status quo”, afirmam os líderes das Igrejas entre os quais o custódio da Terra Santa, Frei Francesco Patton, e o administrador apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém, Dom Pierbattista Pizzaballa.

Rezamos por uma paz justa e duradoura

“Renovamos nosso apelo a fim de que o histórico status quo que governa estes sítios seja totalmente respeitado para a paz e a reconciliação de toda a comunidade e rezamos por uma paz justa e duradoura em toda a região e para todos os seus povos”, conclui a nota dos chefes das Igrejas de Jerusalém. (RL/Sir)


Fonte: RV

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos