Istambul (RV) – Os jornalistas, em particular os jornalistas cristãos, “devem dizer sempre a verdade para servir fielmente nosso Senhor Jesus” e têm uma grande responsabilidade no objetivo comum

do alcance de uma paz estável e duradoura. Foi o que disse neste domingo (02/07) o Patriarca Ecumênico Bartolomeu I ao receber na Igreja de “São Jorge al Fanar” – sede do Patriarcado Ecumênico, em Istambul (Constantinopla), na Turquia – uma delegação de jornalistas ucranianos, reporta o jornal vaticano “L’Osservatore Romano”.

Cesse a guerra fratricida na Ucrânia

“O povo e a Igreja na Ucrânia anseiam fortemente a unidade e a paz. Esse espírito de unidade é, ao mesmo tempo, um tesouro frágil e um dom do alto que Deus nos confiou a fim de que nós o custodiássemos”, observou o patriarca ecumênico fazendo votos de que, mediante a oração, “a guerra fratricida acabe”.

Após ter ressaltado a “significativa função da profissão jornalística num mundo de comunicação instantânea”, Bartolomeu citou o príncipe Jaroslav I de Kiev como grande figura de cristão, a ligação entre o Patriarcado e a Ucrânia, a sua visita em 2008 e a preocupação dos últimos anos.

A Igreja jamais pode esquecer seus filhos

“A Igreja mãe jamais pode esquecer seus filhos espirituais, sobretudo nos momentos de provação e de dificuldade”, ressaltou o Patriarca Ecumênico de Constantinopla. (RL/L’Osservatore Romano)


Fonte: Rádio Vaticano 

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos