Istambul (RV) – Cinquenta igrejas, mosteiros e cemitérios sírio-ortodoxos nas cercanias de Mardin – região turca à sudeste de Tur Abdin – foram desapropriados nos últimos tempos pelo governo turco, passando ao controle direto do Subsecretário do Tesouro, que os confiou à Presidência dos Assuntos Religiosos.

Segundo informaram fontes locais, a operação foi realizada após a conclusão do processo em que Mardin foi transformada em uma comunidade metropolitana. A consequente reorganização administrativa do território transformou os vilarejos circundantes em bairros da área metropolitana.

Em 2016, um Comitê da Prefeitura de Mardin – encarregado de inventariar e redistribuir bens imobiliários pertencentes às instituições não privadas – deu início à transferência de igrejas, mosteiros e cemitérios sírio-ortodoxos presentes no território, ao Subsecretário do Tesouro.

Fundação Mor Gabriel apresenta recurso

O recurso apresentado contra tal decisão pela Fundação Mor Gabriel – que em 2013, após um longo contencioso jurídico, havia obtido a restituição do histórico Mosteiro sírio-ortodoxo de Mor Gabriel, que remonta ao século IV – foi rejeitado em maio passado pelos órgãos administrativos turcos.

Agora a Fundação Mor Gabriel – informa a Agência Fides – encaminhou uma petição à Corte Civil de Mardin. Com este instrumento, solicita para que seja interrompido o processo de desapropriação de igrejas, mosteiros e cemitérios sírio-ortodoxos e a sua transferência sob o controle direto dos organismos governamentais turcos.

Organizações de cristãos sírio-ortodoxos na Europa – como a European Syriac Union – começaram finalmente a se mobilizar contra o que definem como “um sequestro ilegal”.


(JE/Fides)
Fonte: A Voz da Turquia

 
 

1 comentário

  1. ROMEU MUNIZ disse:

    A contínua expropriação de bens particulares em favor do Estado, é um sinal de progresso em rumo ao socialismo islâmico na Turquia. Preocupante.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos