PROTOCOLO Nº 315

A toda a plenitude da Igreja: que a Graça, a Paz e a Misericórdia de Cristo gloriosamente ressuscitado, esteja convosco.

Queridos irmãos e irmãs, filhos amados no Senhor ressuscitado.

«No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo» (Jo 16, 33) é como o Senhor nos tranquiliza a todos, homens e mulheres desta geração, Ele que pisoteou a morte com a morte. «Cristo ressuscitou!» É o grito que também nós dirigimos a todas as pessoas, desde esta sagrada Sede que experimentou a crucificação e a tribulação mundanas; mas que é também a Sede da Ressurreição, já que é daqui deste rincão do planeta, a cidade de Constantino, que proclamamos «a vitória da vida» que dissipa todas as formas de corrupção e a própria morte.

Frequentemente, durante sua presença neste mundo, o Senhor advertiu aos seus discípulos sobre a tribulação que adviria de seu sacrifício na cruz no Gólgota, e também por seu ministério e vida neste mundo, tanto a eles como aos demais que creem em Cristo. No entanto, acrescentou também um detalhe muito significativo: «Chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria… vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará» (Jo 16, 20-22).

Esta alegria pascal e espiritual foi experimentada pela primeira vez pelas mulheres miróforas que chegaram à tumba do Cristo vivificante, com a saudação do Senhor em uma única palavra: «Alegrai-vos!» manifestado enfaticamente hoje pela Mãe Igreja de Constantinopla: «Este é o dia do senhor (Salmo 117, 24). O inimigo final, a morte, a dor, os nossos problemas, a corrupção, a tribulação e as provas, tudo isto foi esmagado e abolido pelo vitorioso Senhor divino-humano.

No entanto, vivemos em um mundo onde os meios de comunicação transmitem todo o tempo más notícias: atentados terroristas, guerras locais, fenômenos naturais destrutivos, problemas de fanatismo religioso, fome, crise de refugiados, doenças incuráveis, pobreza, pressão psicológica, sentimento de insegurança e outras condições igualmente indesejáveis.

Em face a estas «cruzes» diárias, que os seres humanos suportam com obstinação, nossa Santa Mãe-Igreja Ortodoxa vem nos lembrar que, como cristãos, podemos nos alegrar porque Cristo, nosso Mestre e Senhor, triunfou sobre eles como o portador da alegria, aquele que traz alegria para todo o universo.

Nossa alegria se baseia na convicção da vitória de Cristo. Estamos completamente confiantes e seguros de que o bem conquistou todas as coisas, de que Cristo veio ao mundo «e nos deixou para ser vitorioso» Ap (6, 2). O mundo que habitaremos eternamente é Cristo, que é luz, verdade, vida,  alegria e paz.

Apesar de suas cruzes e tristeza cotidianas, a Mãe-Igreja, a Grande Igreja de Cristo, experimenta única e exclusivamente este fenômeno de alegria. Experimenta –do interior desta vida– o reino celestial. Deste Centro Sagrado da Ortodoxia, «nesta noite resplandecente», nós proclamamos que a extensão e o propósito da cruz e de toda a tribulação, a resolução de toda dor e sofrimento humanos, é a promessa do Senhor: « Não vos deixarei órfãos (Jo 14, 18). «E, eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos» (Mt 28, 20). Nós, o mundo contemporâneo, precisa escutar para discernir Cristo no caminho de Emaús e entregar-se. De fato, Cristo está ao nosso lado. E o veremos na medida em que ouvimos e experimentamos sua palavra em nossas vidas.

Esta mensagem -da vitória da vida sobre a morte, do triunfo da alegre luz do círio pascal sobre as trevas da desordem e da dissolução- é anunciada ao mundo inteiro, daqui do Patriarcado Ecumênico, com o convite para que experimentemos a luz sem ocaso da Ressurreição. Convidamos a todos a permanecer com fé e esperança diante do Cristo ressuscitado e diante do mistério da vida. Convidamos a todos a confiar no Senhor ressuscitado, o Mestre da alegria e bem-estar que detém as rédeas de toda a criação.

Cristo ressuscitou, irmãos e irmãs!

Que a graça e a infinita misericórdia do Senhor da vida e Mestre sobre a morte estejam com todos vocês.

Fanar, Santa Páscoa de 2017

† Bartolomeu de Constantinopla
Fervoroso suplicante de todos vós
diante de Cristo ressuscitado.

Baixar arquivo em pdf


Tradução ao português da versão em espanhol
traduzida pela Sacra-Metrópole de Espanha e Portugal:
Pe. André Sperandio
São José – SC (Brasil)

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos