Publicamos o documento produzido pela Comissão Mista Internacional para o Diálogo Teológico entre a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa na Sessão Plenária em Chieti (Itália), 21 de setembro de 2016, uma tradução (livre) por Pe. André Sperandio.

«O que vimos e ouvimos nós vos anunciamos,
para que também vós tenhais comunhão [koinonia] conosco.
Ora, a nossa comunhão [koinonia]
é com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo…»
(1Jo 1, 3-4)

A comunhão eclesial decorre diretamente da encarnação do Verbo eterno de Deus, de acordo com a boa vontade (Eudokia) do Pai, através do Espírito Santo. Cristo, tendo vindo à terra, instituiu a Igreja como seu corpo (cf. 1 Coríntios 12, 12-27). A unidade que existe entre as Pessoas da Trindade é refletida na comunhão (koinonia) entre os membros da Igreja, uns com os outros. Assim, como afirmou São Máximo, o Confessor, «a Igreja é o ícone da Santíssima Trindade». Na Última Ceia, Jesus Cristo rezou assim ao Pai: «Eu já não estou no mundo. Eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que tu me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um». Esta unidade trinitária manifesta-se na Sagrada Eucaristia, em que a Igreja reza a Deus Pai através de Jesus Cristo no Espírito Santo (Baixar arquivo em pdf para seguir lendo o documento na íntegra).

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 

 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos