O Ícone da SANTÍSSIMA TRINDADE do monge russo Andrej Rublev

O Ícone da SANTÍSSIMA TRINDADE do monge russo Andrej Rublev

1. A Igreja Ortodoxa, sendo a Igreja, una, santa, católica e apostólica, acredita firmemente em sua profunda consciência eclesial, que ocupa um lugar de destaque na promoção da unidade dos cristãos no mundo de hoje.

2. Para a Igreja Ortodoxa a unidade da Igreja fundamenta-se no fato de ter sido fundada por nosso Senhor Jesus Cristo, bem como, na comunhão na Santíssima Trindade e nos sacramentos. Esta unidade é expressa através da sucessão apostólica e da tradição Patrística e tem sido vivida até nossos dias em seu seio. A Igreja Ortodoxa tem a missão e o dever de transmitir e pregar toda a verdade, contida nas Sagradas Escrituras e na Santa Tradição, o que lhe dá seu caráter de universal.

3. A responsabilidade da Igreja Ortodoxa e sua missão ecumênica, no que se refere a unidade da Igreja foram expressas pelos Concílios Ecumênicos. Estas sublinharam, sobretudo, o vículo indissolúvel entre a verdadeira fé e a comunhão sacramental.

4. A Igreja Ortodoxa, que reza sem cesar «pela união de todos», sempre cultivou o diálogo com os que tem caminhado, distantes ou próximos. Tem desempenhado um papel de primeira grandeza na busca contemporânea de vias e meios para restaurar a unidade dos que crêem em Cristo. Participou no movimento ecumênico desde o seu nascimento e contribuiu para a sua formação e desenvolvimento posterior. Por outro lado, graças ao espírito ecumênico e filantrópico que a distingue segundo o mandato de Deus, «o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade» (1 Tm 2,4) a Igreja Ortodoxa sempre lutou pela restauração da unidade cristã. Assim, pois, a participação ortodoxa no movimento ecumênico para a restauração da unidade entre os cristãos na Igreja una, santa, católica e apostólica, não vai, em absoluto, contra a natureza e a história da Igreja Ortodoxa, mas constitui a expressão consequente da fé e da tradição apostólica em condições históricas novas.

(Documento na íntegra AQUI).

Seguimos traduzindo os demais documentos do Concílio
para publicação na Biblioteca de Ecclesia

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos