jejum31. O jejum é um mandamento divino (Gn 2,16-17). De acordo com São Basílio, o jejum «é tão antigo quanto a humanidade, pois foi estabelecido no paraíso» (De jejunio, 1.3. PG 31, 168A). Constitui um grande combate espiritual e a melhor expressão do ideal ascético da ortodoxia. A Igreja Ortodoxa, conformando-se fielmente às disposições apostólicas, aos cânones conciliares e ao conjunto da tradição patrística, sempre proclamou o grande valor do jejum para a vida espiritual do homem e para a sua salvação. Ao longo do ano litúrgico, a Igreja exalta a tradição e o ensinamento patrísticos sobre o jejum, necessário para tornar o homem incessantemente vigilante, sem desfalecê-lo, bem como, para suscitar o ardor no combate espiritual. O jejum é exaltado no Triódion como dom divino, graça plena de luz, arma invencível, fundamento dos combates espirituais, melhor caminho para o bem, alimento da alma, ajuda concedida por Deus, fonte de toda meditação, imitação de uma vida imperecível similar a dos anjos, mãe de todos os bens e de todas as virtudes (…)

(Documento na íntegra AQUI).

Seguimos traduzindo os demais documentos do Concílio
para publicação na Biblioteca de Ecclesia

 
 

0 comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Postar um comentário


 
 
 

Assine nossa Newsletter

Pesquisar

Arquivos